onuepenademorte


ONU e pena de morte
A ONU é a principal organização mundial com maior poder moral global. As suas decisões podem melhorar ou piorar a vida de todos nós. Por isso me parece importante que as suas decisões sejam discutidas por todos os que se interessam por um futuro melhor. 
De Itália partiu uma enorme mobilização para uma moratória da ONU contra a pena de morte. Em contracorrente ao pensamento considerado “politicamente correcto” desta “civilidade” eu proponho uma campanha para uma melhor aplicação da pena de morte quando com a morte de um assassino se podem salvar 10, 100 ou 1.000 inocentes e melhorar a vida de milhões dos mais honestos contribuintes.
Um assassino passa ao máximo 20 anos numa prisão em Itália. Mas muitos fogem das prisões, os piores mafiosos raramente são condenados porque as testemunha são mortas ou ameaçadas, outros entram em liberdade por diversos motivos e são responsáveis de 80% dos crimes.
Enquanto estão na prisão custam aos mais honestos contribuintes €200 por dia e quando saem a maioria continua na criminalidade causando danos muito superiores. A maioria dos assassinos custa à sociedade mais de salvar 200 crianças inocentes que poderiam salvas com um euro por dia. Se a isto acrescentarmos o investimento para construir prisões de máxima segurança podemos chegar a salvar mais de 1.000 inocentes só com o que se economizaria com a morte de um assassino. O investimento americano para as prisões de máxima segurança chega a custar quase um milhão de dólares para cada prisioneiro. Quantos inocentes mortos de fome se salvavam só com o investimento do que custa a prisão de um assassino?
Concordo com a maioria dos movimentos contra a pena de morte numa das suas razões: não condenar quando não se tem a certeza. Concordo quando se opõem à pena de morte sem oferecer a possibilidade de conversão. Mas não concordo com a exclusão da pena de morte quando se deu a possibilidade de conversão e manter um assassino irrecuperável custa tanto como salvar mais de 1.000 inocentes.
O meu apelo à ONU não vai no sentido de mais aplicação da pena de morte, muito menos na sua exclusão quando com os custos de um assassino se podem salvara mais de 1.000 inocentes mas de contribuir para uma melhor aplicação quando se verificam 3 condições:
1.     Quando se deu a possibilidade de conversão e de trabalho social para indemnizar as vítimas e a sociedade mas se recusam a colaborar.
2.     Quando é certeza de ter matado um inocente sem justo motivo.
3.     Quando com os custos de manter em vida um assassino irrecuperável se podem salvar muitos inocentes. 
Por outras palavras, a todos os assassinos suspeitos, em vez de se dizer que tem o direito de não falar devia dizer-se que ou diz a verdade e colabora ou será condenado à morte. Com este método a maioria dos assassinos colaboraria, diria a verdade, denunciava cúmplices, acabariam a maioria das mafias que são responsáveis da pobreza de muitos com a riqueza astronómica de poucos.
Para mi é evidente que com melhor aplicação da pena de morte por um assassino morto podiam salvar-se centenas ou milhares de inocentes e milhões de contribuintes viveria melhor.
Se concordam divulguem. Se não concordem critiquem r apresentem razões ou opiniões.  
Propostas para um mundo melhor:
Mais em italiano: http://onu.beeplog.it
Suggerimento all’ONU per avere più soldi e fare più utilità sociale: Spam, virus e truffe: Campagna contro spam, ladri del tempo, autori di virus e truffe in Internet.
Homepage gratis da Beepworld
 
L'autore di questa pagina è responsabile per il contenuto in modo esclusivo!
Per contattarlo utilizza questo form!